Wednesday, March 21, 2007

Há coisas que me transcendem... Não tenho capacidade para as entender. Fico de mãos vazias, com os olhos desfocados no infinito, a tentar decifrar os desígnios do Universo. Mas isto cansa-me e assusta-me… desta vez não estou a conseguir "inventar" uma desculpa que justifique o que aconteceu. Não me estou a conseguir lembrar de nenhuma metáfora que enalteça o Destino e a sua natureza cruel e incontornável. Mas se por um lado me falta a capacidade de desvendar nas estrelas, ou nas ondas e nas marés, as vontades estranhas que a vida nos dita e impõe de forma inesperada e injusta, por outro há uma coisa que eu sei. E vejo-a no olhar das crianças, encontro-a nas mãos que todos os dias passam pelas minhas, ouço-a nas palavras que me chegam desde o nascer até ao pôr do sol, e no calor que sinto quando estou com os meus irmãos. E tal como chega até mim de tantas maneiras e tantas cores, também eu vou continuar a partilhar de todas as maneiras que me forem possíveis, com quem mais precisa. Acho, sinceramente, que no fim é tudo o que nos resta. E é nisso que vou continuar a acreditar.

5 comments:

Dakini said...

Tudo se resume a esses olhares, essas mãos e esses afagos. A esse sentimento que, partilhado, nos leva a acreditar.

fada*do*lar said...

Por mais banal que soe, só o tempo pode ajudar e voltar a alinhar alguns rumos cruéis que a vida nos impõe.
Essa coisa do destino... munca a conseguiremos compreender nem aceitar.
Beijinhos cor-de-rosa*

Maguit said...

TU Mimi, que entraste nas nossas vidas por acaso e por conincidência, demonstraste durante estes ultimos dias que nos deixaram sem chão que és uma mana como muita gente gostaria de ter. Obrigada.

Cordonbleu said...

Bem, agora impõe-se fazer uma declaração sentida e profunda sobre o que escreveste...mas linda, deixei a minha poesia ser enterrada com alguém que amava muito.
Por isso só te sei dizer que percebo, entendo cada palavra tua. Partilho a falta de entendimento dos designios do destino...

Beijos

Moskki said...

...É tudo o que nos resta.


Beijos grandes de chocolate daqueles que te deixam marca nas bochechas.