Monday, October 23, 2006

Esta noite de trabalho...

...a rematar um fim de semana de pouco descanso, pôs-me a pensar nestes três últimos dias.
Sexta: fui para Coimbra para assistir à primeira parte de um curso sobre empreendimentos turísticos que durou até ontem às 18h. Nao sei bem como, deu-se uma impossibilidade: entrei em Coimbra, consegui atravessar aquele que considero ser o "triângulo das bermudas dos cruzamentos", e fui direitinha até à Universidade sem me perder. À noite fomos à procura de um restaurante e, que estranho, ao passar pelo cruzamento, em vez de ir em direcção ao rio, dei por mim a subir em direcção à Universidade. Acabámos por ir comer leitão numa terra perto, e quando voltava para o hotel, o Sr. Bermudas arranjou maneira de me mandar de novo para o IC2, ou seja, para o sítio de onde eu tinha vindo. Continuo sem perceber os mistérios que envolvem aquele cruzamento, mas sei que na próxima sexta ou sábado vou voltar a perder-me...
[Paix* e MS_Blanc: sexta jantamos]
Sábado: tomei o pequeno almoço às 8h30, cheia de sono, a olhar através de uma janela que ocupa a parede inteira da sala, para a manhã escura, cinzenta e chuvosa. Gostei. Mal sabia que dentro de minutos me iria perder a caminho da Universidade. Tudo se resolveu com manobras dúbias em ruas iguais. Entrar no pátio da Faculdade de Direito, percorrer os corredores gigantes cheios de livros, e assitir a aulas numa sala antiga, fez-me sentir estranhamente bem. O que me fez sentir estranhamente mal, foi achar que conhecia a cara de quase toda a gente que estava lá a assistir ao curso... e depois perceber que eram todos parecidos com alguém de séries de televisão, antigas e recentes. Tenho quase a certeza que estava lá o Walter - o marido da Maude (muito bem conservado).
Domingo: cheguei ao atelier às 3h da tarde. Estava a chover torrencialmente e deve ter sido por isso que quando saí do carro deixei cair uma caixa de cd (de cartão) ao chão, deixei o rádio ligado e tive que voltar a entrar para desligar e o comando deixou de funcionar. Porque é nestas alturas que tudo corre mal. Porque é domingo, e giro giro, é eu chegar molhada ao atelier.. Mas as forças adversas não vencerão! Continuo a ADORAR chuva! (esta é para as meninas que andam aí a falar mal da águinha que cai).
E a noite vai-se esgotando, enquanto se ouve uma musiquinha boa e se bebe chá preto de chocolate (que a mana deu à Mimi) e que graças a um termos vintage espantoso, mais velho do que eu, se mantém quente muito quente!
As horas de trabalho estão a valer a pena e estou contente com o que está a resultar deste esforço domingueiro. São 3h31. Eu e o meu companheiro de trabalho - Henrique Henriqueta Ricky, grande senhor e amigo - vamos dar início ao fecho da sessão. :)
Over and out *

6 comments:

Joalhinha said...

não percebo porque é que só falas das desgraças!
então e o belo serão que passaste aqui com a tua girlfriend? ah pois é!

Mimi said...

Permita que a escritora goze da sua liberdade de escolha dos assuntos que entendeu estarem relacionados. Escrever é isso, sim?! Deslarga-me insecto preto e vermelho!

Anonymous said...

Mimi, a tua companhia e esforço no serão de ontem foram toda a diferença!

E AH, sim, já me lembro da cara do Walter, sim, claro! :)

fada*do*lar said...

Tenho a vaga sensação de que fui indirectamente referida neste teu post.
Hum, espero que a c-h-u-v-i-n-h-a não lhe tenha causado transtornos de maior...

hummmmmmmm......
;-)

Antonio Rebordao said...

Hino à água

A água limpa
A água gera vida
A água mata a sede
A água cria os oásis
A água acorda-nos pela manhã
A água liberta-nos quando nos beija
(principalmente se é Sexta e vamos a caminho de casa)
A água constitue 70% do nosso body

Os poetas alentejanos talvez confirmem a ideia pois:

"Não invejo quem tem
Carros parelhas e montes
Só me invejo de quem bebe
A água em todas as fontes."

Amém!

Mimi said...

Anónimo H: fazer companhia a você é sempre um gosto. E foi graças a ti que consegui chegar à Maude ;)

Fadinha: essa vaga sensação só revela a tua perspicácia. E a c-h-u-v-i-n-h-a chateou qb :P

António: tu és dos meus e percebes o quão essencial a água é, venha em que formato vier :) obrigada